quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

NonSense

(...)
O primeiro-ministro, José Sócrates, garantiu hoje que mantém as suas reformas na área da saúde, nomeadamente na rede hospitalar, e que apesar de não encerrar mais urgências sem alternativas (*1), também não vão reabrir as urgências já encerradas.
«Ninguém vai voltar atrás em nada. O que nós queremos é ter um novo método mas cumprir os mesmos objectivos» (*2), afirmou José Sócrates após a tomada de posse, no Palácio de Belém, em Lisboa, dos novos ministros da Saúde (Ana Jorge) e Cultura (António Pinto Ribeiro).
Quanto à saída de Correia de Campos da Saúde, a «pedido» do próprio ex-ministro, visa apenas «reforçar a confiança dos cidadãos no SNS» (*3), garantiu o primeiro-ministro.
(...)
*1: Encerraram Urgências sem alternativas? Isto é assumido assim, despudoradamente? Isso não é crime? E as populações onde as Urgências encerraram, e que não têm alternativas, segundo as próprias palavras do PM, vão manter-se assim, sem alternativas? Com as Urgências encerradas e sem alternativas?
*2: O objectivo, de encerrar Urgências sem alternativas vai manter-se com cosmética, ou o objectivo é...?
*3: Se dúvidas houvesse quanto ao objectivo cosmético, ou eleitoralista, ou a ausência que qualquer intenção de mudar os objectivos reais com essa exoneração, o próprio PM, com o seu mau domínio da semântica, elucida-nos neste trecho. A sorte dele é que ninguém liga a estas coisas. Aliás, não é sorte, ele sabe-o bem. Daí esta palhaçada toda, até à re-eleição final, dele ou de outro igual a ele (vulgo LFM).

3 comentários:

Luz disse...

Palhaçada, é isso!

Viviana disse...

Vim "parar" a este blogue a partir de um comentário.

Sou a Viviana

Fui enfermeira "de Saúde Pública"...durante cerca de quarenta anos!
Sou pioneira na "Educação Sanitária" (assim se chamava) palmilhei este País, praticamente de lés - a lés; falando onde calhava: Casas do povo, Sociedades Recreativas, clubes, eu sei lá! Dei o que tinha e o que não tinha; Deixei um filho de 3 meses para ir um mês para Gramaços, Oliveira do Hospital, fazer Cursos á população...
Fui pioneira a apresentar programas de saùde Infantil, na R.T.P, no longínquo ano de 1970
Fui pioneira no Planeamento Familiar; fazendo palestras ás escondidas no Dispensário Materno - Infantil á noite... no tempo do Salazar...
A saúde Pública foi a minha vida! Dei-me por inteiro!
E agora, "reformada", e com uma saudade imensa da minha vida profissional... assisto a isto que o Primeiro Ministro está a fazer: Destruir o Sistema de Saúde que foi construido, não por ele... mas por tantos como eu que tinham ali o seu sonho!
Poderá imaginar o que eu sinto! Não, não consegue!... è simplesmente aterrador.
os meus cumprimentos
viviana

Placebo disse...

Infelizmente, muitos, e não foi só este governo nem estes ministros, foram estragando o que alguns foram construindo (e mantendo).

A culpa começa na cumplicidade dos próprios actores do sector. Que se contentaram em fazer, esquecendo-se de não deixar que se deixasse de fazer.
E deixaram que a mediatização de uns fosse confundida com o todo.

Mas já fiz um post sobre o que achava disso, o "Legados".