quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Consulta-Expresso

Face à óbvia possibilidade de se aumentarem os índices de produtividade (dos que agora não produzem), e às imensas potencialidades de optimização dos diferentes sistemas de prestação de cuidados de saúde, por vezes, surge o patético....
Como uma recomendação administrativa recente que me chegou aos ouvidos, e que faz constar:
-Devem as primeiras consultas (aquelas em que não se conhece o doente de lado nenhum...) durar um máximo de 20 minutos e as segundas (aquelas em que o mesmo já foi visto anteriormente) durar um máximo de 10 minutos.
Interessante, pensei, exige-se aquilo que, trabalhosamente, demoro cerca de 3 vezes mais a fazer. Inépcia? Vamos considerar higienicamente que sim, um pouco, mas mesmo convertendo-me num profissional virtuosi do cronómetro, não almejo, francamente, conseguir alcançar o dobro do tempo exigido, e julgo que com défice de qualidade.
Ou seja, ou não sei fazer as coisas como deve ser, ou é estapafúrdio o dever considerado.
Por isso pensei como havia de fazer à minha vida, para o caso de me ameaçarem com o despedimento em caso de incumprimento.
E então será mais ou menos assim (neste exemplo, uma segunda consulta):
-Sr. X ao gabinete 8!
-...
tic tac tic tac
-Bom dia Doutor!
-Bom dia, já vamos num minuto de consulta, faltam 9 como pode ver por este cronómetro, por isso passe para cá os exames depressa e diga quais são as suas novas queixas.
-Bem, agora tenho esta falta de ar, bzz, bzz, bzz...
tic tac tic tac
-(após leitura e registo dos exames) Então aquelas dores articulares de que se queixava, melhores?
-Sim, sim, mas apareceu esta falta de ar...
-Bem, isso da falta de ar é melhor falar ao seu médico de família, e se ele achar necessário, nos 10 minutos dele de consulta, então há de fazer um pedido para ser observado aqui. Mas está melhor das dores articulares, muito bem....
-Mas é que fico muito aflito, e tenho ainda esta dor no peito, será que não me podia investigar estas queixas?
-Posso, mas já vamos em 6 minutos de consulta e ainda não escrevi nada no processo da consulta, mas vá falando, vá falando...
-Bzz bzz bzz...
tic tac tic tac
Triiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiing!!!!
-Pronto, já está, então aquilo das dores articulares eram aparentemente apenas umas artroses, continue a medicação, e qualquer coisa, já sabe, é só pedir ao seu médico de família que o referencie a esta consulta.... (sorriso)
-Mas então e estas queixas que lhe estive a contar, o que acha?
-Bem, é como lhe disse, é como o seu médico de família entender... (sorriso mantido)
-Ah... pronto, está bem. Podia-me passar uma receita para os remédios?
-Sr Y ao gabinete 8! ... ah, meu amigo, isso devia ter pedido aí um par de minutos antes do final da consulta, agora já estamos no tempo do doente seguinte. Mas pronto, o seu médico de família....
(PS: numa próxima oportunidade, uma primeira consulta para exemplo.)

3 comentários:

Luz disse...

Oh Sr. Dr. se não perder tempo a explicar ao paciente que só tem 10 minutos já vai ter tempo para a receita. E claro que se não referir mais de uma vez "Mas está melhor das dores articulares, muito bem...." vai ter tempo para investigar a falta de ar... e já agora se não dizer bom dia ainda vai ter tempo para mais não sei o quê...

Estou a brincar!!!!

Isto é tão ridículo que não admite qualquer outra atitude.

Onde iremos parar?

Luz

naoseiquenome usar disse...

òh meu Deus! :)
Tadinho do médico de família, tadinho do doente, tadinho do especialista... tadinhos nós todos que somos estatísticas!

Gato das botas altas disse...

Acredito ser possivel consultas inferiores a 5 minutos e outras que poderaam durar mais de uma hora, vai depender do médico, do doente e da situação. Acho incrivel a ideia de que se possa normalizar o tempo de uma consulta. A um médico do serviço publico so se pode exigir que cumpra o seu horario e de o seu melhor, e ao seu doente que seja o mais objectivo possivel e que cumpra as suas orientações....
Os doentes não são peças numa linha de montagem e o medico não é um operario que efectua sempre o mesmo procedimento sobre essa peça....