quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Competências

Quando é que, em saúde, devemos passar a ter uma determinada competência?
Sem qualquer critério corporativista, apenas pela lógica das coisas?
Parece-me simples quanto ao "critério mínimo": quando conseguimos resolver as iatrogenias que dela advêm. Mesmo que não individualmente, no mínimo estruturalmente (seguindo uma cadeia célere, bem oleada e solidária nessa resolução).
Quer pôr catéteres autonomamente? Tem que saber drenar pneumotórax e hemotórax.
Quer administrar sedativos (entre muitos outros fármacos)? Tem que saber reaminar.
Quer reanimar? Tem que saber (além dos simples algoritmos) arranjar acessos vasculares e entubar oro-traquealmente (e drenar pneumotórax hipertensivos, e drenar derrames pericárdicos, e ventilar, e avaliar neurologicamente, ...).
Quer realizar exames endoscópicos? Tem que ter retaguarda cirúrgica avisada (e saber reanimar, ...).
E por aí fora.
Podia ser que, dessa forma, se acabassem com muitas reivindicações bacocas que recorrentemente se ouvem por aí.
Quanto aos demais critérios (os de "qualidade"), estamos em Portugal, país das "Medicinas Alternativas" legalizadas (ou não ilegalizadas).
Não tenhamos por isso "delírios escandinavos", nem "complexos de canadiano".

3 comentários:

Magistral Estratega disse...

Vamos lá falar seriamente... Quer realmente comparar o número de médicos que domina esses processos?

Vamos lá falar seriamente... porque julga ser(em) os únicos que sabem resolver uma sobredosagem de opióides? que existe um antídoto? o mesmo para as benzodiazepinas , até para o paracetamol?

Hoje em dia a prescrição terapêutica é tão limitada (por causa de guidelines) e a informação tão amplamente difundida que... esse argumento já não pode ser usado.

Já me faz lembrar aquele senhor da "morfina pode matar"...

Trata-se tudo do acesso dos doentes a cuidados de saúde...

Se não se preocupam com a dor dos doentes há quem se preocupe. Se não se preocupam com a agitação psicomotora, o risco de queda e por aí em diante há quem se preocupe...

Já agora espero que tenha esse tipo de raciocínio em dias de greve e colha as análises de sangue que no fundo são da sua competência e que eventualmente podem provocar uma hemorragia e até a morte, ou uma entubação Nasogástrica que pode provocar um pneumotórax e etc etc etc ... Mas nesses dias de greves ninguém se lembra disso... e se são urgentes... colham os médicos já que são eles os responsáveis não?

Anónimo disse...

O magistral estratega deve estar a brincar...

Colhe sangue quem o hospital decide, no seu modelo oragnizativo, que deve colher! Por mim, era bem melhor que fossem os médicos a colher o sangue e fossem despedidos uma série de técnicos de análises clínicas...

Magistral Estratega disse...

Não sei de que realidade está a falar anónimo. De qualquer forma não me parece nada racional por um profissional caro a fazer algo que outro profissional mais barato faz melhor, por exemplo o enfermeiro.

Se estou a brincar?Talvez ... mas só se pode brincar quando se dizem as coisas que se dizem quando toda a gente sabe que é o que se passa todos os dias e ninguém assume... Como o autor deste blogue...